Depoimentos

Nutrição para o bem-estar
“Desde os 9 anos de idade faço dieta. Meu sobrepeso me trouxe várias lesões, além de me presentear com uma arritmia. Depois de 36 anos de luta com a balança, aos 45 anos, estava decidido a fazer a cirurgia bariátrica com redução do estômago, só não fiz por uma questão financeira e pela demora da fila do SUS.

Nesse intervalo, entre a espera e a cirurgia, conheci o trabalho do fisioterapeuta Marcelo Semiatz (Força Dinâmica), que me dissuadiu da ideia e me indicou a nutricionista RACHEL FRANCISCHI. Resisti por não acreditar ser capaz de emagrecer sem um moderador de apetite, mas marquei uma consulta. Já passei por inúmeros profissionais e conheço uma infinidade de dietas, assim, não esperava encontrar nada de diferente.

No dia da consulta fui recebido por Rachel e percebi algo novo logo de início. Não sei se por excesso de carência o que notei foi um acolhimento da minha pessoa por inteiro. Em uma hora e meia de consulta resumi meu histórico de vida procurando relacionar com a obesidade e descobri que ali eu me tratava de forma integral, muito além de um cardápio de orientações nutricionais, que de maneira geral, todo gordo já conhece.

Há no tratamento uma busca mais profunda do que as camadas de gordura que apresentamos na nossa aparência. A procura da causa tem sido mais importante do que o efeito exteriorizado nesse momento.

Sem conseguir seguir com rigidez o que me foi proposto, perdi 2,5 kg no primeiro mês, depois, no segundo, engordei 500g, no terceiro, perdi mais 2,5kg isso sem conseguir ter a disciplina necessária para restringir os alimentos mais calóricos como doces, sanduíches. Apesar disso, a minha alimentação tem sido mais saudável. Mas, para mim, o fundamental tem sido uma mudança de pensamento, tanto na escolha dos alimentos como na forma de encarar a obesidade.

Os benefícios são definitivos e não paliativos como em todas as outras dietas que já fiz, em que emagrecia e depois de um tempo voltava a engordar.

Rachel atende a diversas faixas etárias e a diferentes tipos de necessidade, como atletas de ponta, atletas amadores, crianças, obesos, não vejo, assim, um perfil limitado de pacientes porque ela se utiliza de uma ferramenta que é adequada para qualquer um, o AMOR.

A delicadeza, a entrega durante a sessão são pontos diferenciados nessa profissional que procura ver sempre a parte cheia do copo, e, se ele estiver vazio ela valoriza o ar que ali dentro está.

Não sei se vou conseguir alcançar minha meta de emagrecer 45 kg e não engordar mais, mas sinto que algo tem modificado internamente nesse tratamento, o que me dá esperanças e confiança de que é possível alterar algo introjetado em mim durante muitos anos.

É um privilégio poder ter conhecido Rachel e me tratar com ela.”

Zeca Bicudo, 45 anos

 

Nutrição esportiva
Há vinte anos eu pratico a corrida. Já completei seis maratonas (duas em Paris, Berlim, Rio, Buenos Aires e Boston) e muitas meias maratonas… Em 2012 comecei um trabalho com um treinador da Força Dinâmica para corrigir minha postura e eficiência na corrida.

Daí estava com algumas dúvidas sobre quanto comer, o quê comer, qual frequência e todas essas dúvidas que um esportista sempre tem! Fui recomendado à Rachel nutricionista para me ajudar.

A Rachel é muito simpática e profissional. Rapidamente, ela me orientou e deu dicas super práticas para acertar minha alimentação, porém com bastante flexibilidade na adaptação. Eu gosto muito do “ouvido aberto” dela, pois a Rachel adapta o plano de alimentação à sua necessidade ou aos desafios da vida moderna.

Em 3 meses de trabalho nutricional, perdi 3 kg de gordura (e não tinha muito J), melhorei meu tempo na maratona de Boston  (fazendo 3h09min) e agora ela está me ajudando a ganhar massa magra! Eu acho que o trabalho dela poder pode se útil para muitas pessoas, esportistas ou não, para atingir objetivos de saúde.”

Thierry Guillot, 44 anos

 

Nutrição materno-infantil

“Conheci a Rachel no pós-parto, quando decidi perder o peso adquirido durante a gravidez. Na época, percebi que todas as dietas que tinha feito antes não me serviriam mais, já que estava amamentando e, devido a alergia à proteína do leite de vaca da minha filha, não podia consumir leite e derivados.

Foi maravilhoso encontrar uma profissional especializada e atenta a esse período tão particular da vida da mulher. E preocupada não só com a nutrição em si, mas também com o bem-estar das suas pacientes. Passei a me alimentar de maneira muito mais equilibrada e a tomar suplementos vitamínicos, depois de anos fazendo dietas muito restritivas, o que é bom pra mim e também pra minha filha Beatriz que passou a tomar um leite mais rico. A perda de peso vem acontecendo gradualmente.

A orientação da Rachel também foi fundamental na introdução alimentar da minha filha. Participei da Oficina de Papinhas, Copinhos e Nutrição Infantil e foi excelente. Estava muito insegura com a transição da amamentação exclusiva para as papinhas. Tinha impressão de que minha filha não gostaria de experimentar novos sabores e que aquilo seria algo forçado.

Nas aulas aprendi que aquela era a hora ideal de introduzir novos alimentos e, o mais importante, aprendi como fazer isso da forma certa. Com a ajuda da Rachel, consegui ainda me organizar para manter a amamentação na volta ao trabalho. Dessa forma, estamos formando hábitos alimentares saudáveis que ficarão por toda a vida da Beatriz. E para minha surpresa, minha filha desde o começo se mostrou uma bebezinha muito boa de garfo e esse processo tem sido muito prazeroso.”

Ana Paula Campos, mãe de uma bebê de 7 meses

 

Nutrição materno-infantil

“Quando a Mariana fez 6 meses eu não esperava que a introdução alimentar dela seria difícil. Minha filha mais velha, Luiza, aceitou tudo muito bem quando bebê. Iniciei seguindo as orientações da pediatra e ela simplesmente não aceitava nada. Travava a boca, virava o rosto, não queria nem experimentar… Conforme as semanas iam passando, fui tentando de tudo. Não entendia se era a consistência, o paladar, falta de fome, excesso de fome ou cansaço.  Melhorava o tempero, incluía legumes mais doces, ficava na dúvida se a deixava com fome ou não. Passamos 1 mês e meio estressados, chateados e perdidos.

A Rachel é minha amiga desde o colégio e corri pra ela, pedindo ajuda! Marcamos consulta e viajamos 4 horas para encontrá-la (moramos no interior do Rio de Janeiro). Explicamos todas nossas dificuldades e ela traçou um perfil da Mariana. Baseado nisso, elaborou um diário de alimentação completamente personalizado, de acordo com a nossa rotina familiar. Passou sugestões de lanches, de preparos, receitas, restrições para a idade, horários aproximados de mamadas, enfim todas as orientações.

Na primeira semana após a consulta, a Mariana começou a comer! Parece mágica!!! Trouxe uma tranquilidade para o horário da refeição, mudou o clima de casa! Tenho muito a agradecer à Rachel. Ela é  uma profissional dedicada e amorosa. Atentou para todas as informações passadas e tranquilamente ofereceu todas as respostas! Para quem estiver passando por qualquer dificuldade ou quiser incrementar a alimentação da garotada, super recomendo a Rachel!”

Renata Mendes Reis, mãe da Mariana de 6 meses e da Luiza de 6 anos

 

Nutrição materno-infantil

“Sou fã de carteirinha do trabalho da Rachel. Ela me acompanha há quase dois anos, desde que minha filha tinha 6 meses.

Tenho questões com a alimentação desde os quinze anos, e vinha de mais de dez anos de remédios tarja preta e diuréticos para emagrecer. Na primeira gravidez, impedida de tomar essas medicações, engordei 26 kgs.

No pós-parto, comecei a me consultar com a Rachel e fizemos um trabalho de foco na saúde e na perda efetiva de gordura. Cinco meses depois, engravidei novamente e lidei com a alimentação com mais consciência e dando mais importância ao “nutritivo” do que ao simples “menos calórico”.

Hoje, com meu segundo filho com oito meses, continuo num trabalho de “conscientização” alimentar para perder alguns quilos de gordura que ainda me incomodam. Mas, sem duvida nenhuma, o trabalho feito com a Rachel vem mudando minha relação com a comida. O reforço das conquistas, a praticidade das dietas sugeridas e, principalmente, o entendimento e abordagem sobre o “todo” de cada paciente – e não simplesmente contagem de calorias – faz toda a diferença!”

Carol Zogno, mãe da Olívia de 2 anos e do Pedro de 8 meses

 

Nutrição para o bem-estar
“Sendo vegetariano há mais de 10 anos, por todo esse tempo havia uma ponta de preocupação por nunca ter buscado uma orientação nutricional. Mas isso é daquelas coisas que a gente vai postergando, evitando… Sei que era um evitar que alguém estivesse junto comigo em questões tão particulares. Onde encontrar alguém pra estar junto comigo em algo que revela tanto os meus desequilíbrios? A alimentação já foi pra mim, nos tempos das minhas maiores angústias, exatamente o lugar das minhas compensações. Então há motivos de sobra pra todo esse resguardo diante de uma proposta de acompanhamento nutricional.

Os anos passaram, muita coisa mudou, mas a nutrição continuava um lugar delicado demais pra admitir alguma companhia.

Há um ano e meio encontrei uma atividade esportiva e desenvolvi por ela uma verdadeira paixão. Com o crescer da intensidade dos treinos veio a necessidade de cuidar da nutrição, buscando um melhor aproveitamento exatamente desses tão queridos treinos. A princípio seria apenas uma orientação em função do esporte que eu estava praticando. Uma bela oportunidade pra fazer a minha primeira consulta com uma nutricionista na vida!

Acho que as pessoas chegam na vida da gente na hora correta, nem antes, nem depois, quando são as pessoas certas! Há poucos meses conheci a Rachel, mas já sei que o encontro com ela está determinando mudanças profundas na minha vida. Assim como sempre acontece quando a gente encontra na hora certa a pessoa certa no nosso caminho na vida. Sou muito grato à vida e a tanta gente boa que ela tem me trazido!”

Eduardo Cintra, 59 anos

 

Nutrição infantil
“Eu sou fã da Oficina de Papinhas, Copinhos e Nutrição Infantil. Foi a melhor coisa que eu poderia ter feito para a introdução alimentar da minha filha. Eu entendi a nutrição infantil de uma forma totalmente nova, fundamentada em conhecimento científico atual e multidisciplinar. A quebra de alguns paradigmas e o entendimento do que é essa fase para a criança me ajudaram a vivê-la com menos ansiedade e dar uma experiência de alimentação fantástica para ela. Já aos seus 10 meses de idade fizemos uma viagem internacional e ela nos acompanhava a restaurantes, comia o mesmo que nós e se deliciava com as novas experiências, nada de papinha industrializada.

Hoje, com 1 ano e 3 meses ela adora experimentar novos sabores e texturas e nunca precisamos recorrer a guloseimas ou brincadeiras para despertar seu interesse pela comida. Esta oficina é imperdível!”

Manuela, mãe uma bebê de 1 ano e 3 meses

 

Nutrição infantil

“Gostei muito de fazer a Oficina de Papinhas e Nutrição Infantil porque considero a introdução alimentar uma coisa extremamente importante para a saúde do bebê e esse momento veio para mim acompanhado de muitas dúvidas e ansiedade. O curso me ajudou a entender, por exemplo, que tem dias que o bebê come pouco ou mesmo não quer comer e desde que ele esteja sendo amamentado, tudo bem, não precisa e não deve ser forçado.

Me ensinou que cada criança tem seu ritmo e isso deve ser respeitado. Hoje estou satisfeita porque minha filha, se comparada a outras crianças, embora não coma muito em quantidade, ela gosta de uma grande variedade de alimentos (incluindo todas as verduras e legumes) e está muito saudável.”

Cristiana, mãe de uma bebê de 1 ano e 3 meses

 

Nutrição infantil
“Participei da Oficina de Papinhas, Copinhos e Nutrição Infantil e a introdução da alimentação da minha bebê de 6 meses foi excelente. Ela está se alimentando bem, adora frutas como manga, banana, melancia (ainda mais nesse calor)! E ela não quer fruta amassada não, ela quer inteira!

Como aprendemos na Oficina, tenho dado pedaços da fruta na mão dela para ambos “se comunicarem”, enquanto ela chupa o outro pedaço que seguro e dou na boquinha dela! E quanto a papa salgada, ela ama carne, feijão e brócolis! Às vezes, ela mesma quer colocar a colher na boca sozinha e está aprendendo direitinho!”
Clarice, mãe de uma bebê de 8 meses

 

Nutrição infantil

“A Oficina de Papinhas, Copinhos e Nutrição Infantil foi ótima! Além de nos dar bastante informação sobre a parte nutricional e fisiológica, ajudou essa mãe aqui, que estava super preocupada achando que seu bebe nunca iria comer, a aceitar o tempo e a maneira dele se alimentar. Super recomendada! As instrutoras são demais!”

Juliana, mãe de um bebê de 1 ano e 2 meses

 

Nutrição infantil
“Fiz a Oficina de papinhas, Copinhos e Nutrição Infantil recentemente com a minha pequena Irene. Ela ainda não estava comendo na época, mas agora é uma devoradora de papinhas de frutas e salgadas. Seguindo as orientações, não precisei passar nada no processador, nem no liquidificador. Ela aceitou os alimentos super bem e estamos nos divertindo com a introdução da alimentação complementar.”

Luanda, mãe de uma bebê de 6 meses

 

Nutrição infantil

“A Oficina de Papinhas, Copinhos e Nutrição Infantil me permitiu pensar pela primeira vez na alimentação complementar do meu filho Pedro. O curso combinou temas fisiológicos e nutricionais sobre a alimentação de bebês. Aprendi sobre ingredientes, consistência, congelamento de papinhas e outras questões de ordem teórica e prática. Também pude compartilhar experiência com outras mães, em especial com mães de bebês que tem refluxo como o meu filho. Além disso, a diversão foi garantida: o Pedro saiu de lá tomando leite materno no copinho pela primeira vez. Ele completou 6 meses recentemente e já estou preparando papinhas caseiras aplicando tudo o que aprendi no curso.”

Raquel, mãe de um bebê de 6 meses